quarta-feira, 12 de março de 2014

Adoção... uma decisão do coração




Boa tarde Meninas!

Resolvi fazer este post por vontade de expressar a minha opinião sobre este assunto e orientar no que for possível:

Eu estive pensando semana passada muito nisso pois eu recebi em casa por algumas semanas meu irmão mais novo de 15 anos que começou a dar trabalho para minha mãe e a decisão foi deixar ele longe dos amigos um pouco para que ele pensasse melhor em tudo. Eu pesquisei algumas coisas e a princípio a ideia era levar ele em alguns asilos ou orfanatos para que ele visse a vida de outra forma e intendesse as privações que outras pessoas passam para que ele pudesse valorizar o que ele tem. Estava olhando alguns sites para ver as instituições mais próximas e tive a ideia do post.

Em primeiro lugar, na minha opinião nós devemos pensar neste opção não para satisfazer o nosso desejo de ser mãe mais sim de observar o mundo ao redor e entender o que essas crianças passaram e tentar melhorar a vida delas de alguma forma. Creio que o mais importante é a criança.
Mesmo que você adote um bebê você não pode simplesmente passar uma borracha no passado deste bebê, é natural que quando ele vai crescendo ele vá tendo curiosidade sobre seu nascimento e seu passado... todos nós temos isso. E você precisará respeitar este passado e lidar com os traumas que isto vai gerar nesta pessoa.
Eu acredito que o relacionamento de mãe e filho e todo o amor é consequência da maturidade que você tem neste ato e o respeito pelo passado acho que você tem que oferecer muito amor, pois a criança tem um pouco de complexo e carência e ao mesmo tempo falar a verdade quando for preciso, mais não toda a hora e nem na frente de todos para que a criança não se sinta inferior ou diferente da condição de seu filho.

Para quem deseja unir o útil ao agradável e tomar esta tão altruísta decisão aí vão algumas dicas:

1 - Vá até a secretaria da criança e da juventude e se inscreva para a palestra de orientação aos candidatos á adoção.

2 - Não visite instituições ou crianças com interesse em achar a "criança certa".

3 - Peça ma Secretaria da criança e da juventude os formulários para se candidatar á adoção.

4 - No preenchimento das características da criança pretendida não seja demasiado celetista se deseja um pouco mais de agilidade no processo, tenha em mente que é para fazer algo por alguém e não para benefício próprio. Mais SEJA MUITO SINCERO, por isso pense muito bem para tomar esta decisão.

5 - Devolva a documentação preenchida á Secretaria e aguarde para ser chamado para entrevistas, aprovação do cadastro e demais particularidades do processo.

6 - O quesito financeiro não é o mais importante na consideração para seu cadastro ser aprovado.

7 - A criança a ser adotada deve ter, no mínimo 13 anos a menos do que o mais novo do casal.

8 - O processo pode levar meses ou até 07 anos!! Isso depende muito das características da criança pretendida.

9 - Não é preciso ser casado para adotar uma criança.


Faça alguém que precisa feliz e a por consequência terá uma felicidade única!!!

Caso vocês queiram as cópias dos formulários que a secretaria da criança e da juventude de São Paulo pede para a adoção e a relação de documentação necessária é só me pedir nos comentários que eu envio.

Um abraço e espero que gostem.

Um comentário:

Gabi disse...

Amiga a adoção realmente é um ato de amor, parabéns pela sua iniciativa ♥
Um beijão, tem sorteio no blog até 25/3.

http://www.futuramommy.blogspot.com.br/